Cosme

A professora de Música e Educação Artística Maria Solange Ferreira Follador revela em Cosme, o afro-baianinho, em “Ginga à Bolonhesa”, que sua melhor habilidade é a de contadora de histórias.

Com muita versatilidade, dá vida aos seus personagens, esculpe imagens no ar e nos envolve como se estivéssemos na trama, vivenciando aqueles fatos narrados por ela.

Solange combina na mesma intensidade o simples, o provincianismo e o feitiço dessa terra baiana. Sentimos o cheiro do acarajé, das cocadas nos tabuleiros, o cheiro da pele das pessoas de todas as cores, o ritmo frenético da nossa música e podemos também visualizar a beleza imensa do nosso mar.

Esta escritora singular mistura intensamente o prazer com o fazer, porque se encanta com as descobertas. Aí está o grande segredo do contador de histórias.

Professora Vera Veronesi